Bretagne

 

A Bretanha é uma região bastante particular; pelo fato de, no passado, ter sido independente, a região protege sua identidade cultural atrás de uma língua e tradição bastante diferentes do resto do país.

Rennes, a capital, é uma cidade carregada de história com suas casas construídas a 4 séculos atrás, suas ruelas, seus pátios. Cidade universitária, Rennes é particularmente animada a noite. Sua vida cultural é bastante rica com seus festivais de musica, teatro, contos e cinema.

No litoral norte, Saint-Malo, a “cidade corsária”, merece uma visita; sua fortaleza construída no século VI permitiu que a cidade fosse protegida das invasões normandas. Diversos navegadores, aventureiros, escritores famosos participaram do prestígio de Saint Malo e fizeram dela uma cidade rica e próspera. Chateaubriand, pai do romantismo literário por exemplo, enterrado perto da fortaleza, faz brilhar a cidade muito além das fronteiras da França.

Reconstruída após a segunda guerra, Brest é antes de tudo uma cidade dedicada à marinha. Seu grande porto de comércio é também onde encontram-se veleiros de todos os tamanhos, para uma das maiores regatas da Europa. Brest é também uma cidade alegre, repleta de atividades culturais e de lazer com o Quartz, um dos teatros mais freqüentados da França, o Oceanopolis o maior aquário marinho ao ar livre, além de uma hospitalidade sem igual de seus habitantes.

A costa, que se estende por mais de 1500 km, suas inúmeras estâncias balneáreas, seus pequenos portos, as enseadas, seus rochedos e seus panoramas extraordinários permitem a prática de diversas atividades náuticas como a vela, o Wind surf ou o surfe. Vale a pena visitar cidades como Carnac ou a grandiosa Pointe du Raz. A Bretanha também é muito conhecida pela fabricação da renda e por seus inúmeros institutos de talassoterapia tais como os institutos Louison Bobet e Quiberon.

Não é somente a costa e as cidades que fazem da Bretanha uma região tão diversificada; A Bretanha possui tesouros naturais únicos na França. Majestuosos e enigmáticos erguem-se perto dos rios, no campo ou nas ilhas, os menhires (aquelas famosas pedras carregadas por Obelix!) e os dólmenes (uma espécie de pedras alinhadas que formam um corredor). Eles dão a paisagem formas fantásticas e evocam o passado dos povos antigos.

A Bretanha não fica para trás no que diz respeito à gastronomia e as suas comidas típicas. A região é a campeã na produção de alimentos marítimos. As ostras frescas são consumidas durante o ano todo por bretãos e visitantes. As crepes, super tradicionais na região, eram antigamente consumidas por camponeses com um pouco de manteiga ou um ovo… Hoje em dia, todas a s receitas são possíveis e vale a pena serem desfrutadas.